Os candidatos e seus planos de reformar a Constituição

Presidenciáveis sugerem alterações amplas na Carta Magna em vigor desde 1988, durante eleição marcada por discursos que fragilizam a democracia brasileira

 

A reta final das eleições de 2018 vem sendo marcada por declarações polêmicas de candidatos e seus vices sobre o funcionamento das regras do jogo democrático, além de cobranças a respeito das reais intenções dos planos de governo apresentados ao país pelos postulantes ao Palácio do Planalto.

Vice do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, o general da reserva Hamilton Mourão defendeu, em entrevista coletiva em 13 de setembro, a elaboração de uma nova Constituição, mas apenas por “notáveis”, sem a participação de representantes eleitos. 

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.