O plano de Bolsonaro sobre ‘excludentes de ilicitude’

Presente em falas e no plano de governo do candidato, proposta tem potencial de ampliar a violência institucional, segundo especialistas em segurança pública ouvidos pelo ‘Nexo’

    Candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro realiza uma campanha em que menções a armas de fogo são  frequentes. Constantemente, aparece ao lado de apoiadores, incluindo crianças, simulando revólveres com os dedos das mãos.

    O gesto, inclusive, foi repetido pelo capitão da reserva em uma de suas primeiras fotos no Hospital Albert Einstein, onde estava se recuperando de um atentado a faca ocorrido em 6 de setembro, em Minas. Bolsonaro recebeu alta em 29 de setembro.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.