Pós-atentado: o que mudou na campanha de Bolsonaro

Líder nas pesquisas, candidato do PSL à Presidência está internado e sem previsão de retomar agendas públicas

 

A campanha de Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência, tem passado por ajustes e desencontros desde que o deputado sofreu um atentado a faca, em 6 de setembro, em Juiz de Fora, Minas Gerais. O agressor, Adelio Bispo de Oliveira, está preso.

O candidato sofreu ferimentos no intestino e está internado desde sexta-feira (7) no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Até o momento, não há previsão de alta médica nem de retomada de atividades partidárias. A participação em agendas públicas até 7 de outubro, data da votação, é considerada improvável por pessoas próximas.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.