Por que museus e acervos científicos estão queimando no Brasil

Ao ‘Nexo’, especialistas em segurança e políticas culturais de proteção ao patrimônio falam sobre as razões que levaram à tragédia no Rio e o que pode ser feito para que outras mais não ocorram

Temas

A tragédia no Museu Nacional de domingo (2) é o fato mais impactante de uma série de acidentes fatais em acervos de instituições culturais e científicas no Brasil.

O incêndio que destruiu a maior parte do acervo da instituição no Rio de Janeiro acontece na sequência de outros que atingiram Museu da Língua Portuguesa (2015), Instituto Butantan (2010), Memorial da América Latina (2013) e Cinemateca (2016), todos em São Paulo, ou, ainda, remete a um mais antigo, que há 40 anos consumiu as obras guardadas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.