O desafio das facções para o próximo presidente. E os planos de governo

Segundo pesquisadores, violência entre grupos tem contribuído para que o país bata recordes de homicídios

 

O ano de 2017 foi marcado por 63.880 mortes violentas, segundo registros das polícias compilados no Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Pesquisadores que encabeçam instituições que contabilizam as mortes indicam que o acirramento de conflitos entre facções em várias partes do Brasil ajuda a explicar o aumento da violência letal.

As facções são tema de uma série de entrevistas com pesquisadores, feita pelo Nexo nas últimas semanas. Os membros desses grupos formam redes de grande alcance geográfico, ampliadas por alianças por todo o país. Por isso, desavenças entre facções em uma região têm potencial de repercutir em outras.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.