A relação entre uso de Facebook e crimes de ódio, segundo este estudo

Pesquisadores alemães constataram que em cidades onde uso de rede social era maior e havia mais contato com conteúdos de ódio, maior era o número de ataques a refugiados

    Em meio a uma onda de violência e intolerância na Europa, revelada sobretudo por ataques contra refugiados e imigrantes nos últimos anos, uma dupla de pesquisadores se dedicou a investigar a relação entre a origem desse sentimento e o consumo de conteúdo de ódio disseminado na internet. Mais especificamente, no Facebook.

    O trabalho parte do fato de que, embora as redes sociais sejam apontadas como as praças virtuais onde notícias falsas e discursos de ódio se espalham e contaminam a opinião pública – potencialmente alterando rumos de processos democráticos nada virtuais, tais como as eleições presidenciais americanas de 2016 –, havia pouca evidência empírica sobre isso. Ou seja, de que o sentimento de ódio distribuído na internet produz ações violentas no mundo offline.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.