Como o revisionismo sobre Pinochet divide o Chile atual

Ministro da Cultura renuncia depois de engrossar as críticas da direita ao Museu da Memória e dos Direitos Humanos

 

O ministro da Cultura do Chile, Mauricio Rojas, renunciou ao cargo na segunda-feira (13), apenas quatro dias depois de ter sido nomeado pelo presidente do país, Sebastián Piñera.

A renúncia foi motivada pela repercussão negativa de críticas feitas por Rojas ao Museu da Memória e dos Direitos Humanos. O museu – um dos mais conhecidos e importantes do país – foi erguido em 2010, em Santiago, como um memorial das vítimas da ditadura que vigorou no país de 1973 a 1990. Sobre ele, Rojas disse o seguinte:

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.