Como está a situação das livrarias de rua no Brasil

Estabelecimentos são prejudicados por comércio eletrônico e baixo índice de leitura do brasileiro. Distribuição de livrarias pelo país é desigual

     

    “Salvo exceções, as livrarias de rua no Brasil não estão resistindo”, declarou Bernardo Gurbanov, presidente da ANL (Associação Nacional de Livrarias), em entrevista ao Nexo. Segundo ele, são muitos os fatores que contribuem para o momento difícil desse tipo de estabelecimento.

    Há o fator macroeconômico atual, com a recessão, e o componente histórico, de uma população que lê pouco. O avanço do comércio eletrônico e o crescimento da leitura em dispositivos digitais também são razões importantes. “Os aluguéis também estão subindo muito e não recebemos nenhum tipo de apoio do poder público, como é o caso, por exemplo, de igrejas, que não pagam IPTU”, afirmou.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.