Como a Europa quer ‘terceirizar’ a triagem de imigrantes

Proposta busca estabelecer centros de seleção no norte da África para deixar passar apenas quem sofre perseguições

 

Um acordo firmado na quinta-feira (28), em Bruxelas, na Bélgica, entre os 28 países-membros da União Europeia, propõe que sejam criados entrepostos regionais, fora do continente, para selecionar os imigrantes que podem e os que não podem passar para dentro das fronteiras da comunidade.

A ideia é separar refugiados de imigrantes econômicos. Os refugiados fogem de perseguições por razões políticas ou religiosas, normalmente vindos de países em guerras ou em graves crises políticas. Todos os demais são considerados imigrantes econômicos – pessoas que deixam seus países em busca de melhores condições de vida.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.