A criminalização da ajuda a imigrantes na Hungria

Medidas proíbem que imigrantes recebam dinheiro ou sejam informados sobre como regularizar sua situação no país. Ação é resultado de longa política anti-imigratória do premiê Viktor Orbán

 

O Parlamento húngaro aprovou, na quarta-feira (20), um conjunto de leis que criminalizam a ajuda a imigrantes no país. Com a medida, atos como dar informações sobre a legalização de pessoas que chegam ao país ou fornecer apoio financeiro a eles pode resultar em uma pena de até 1 ano de prisão. A legislação vale tanto para indivíduos quanto para grupos que prestam auxílio a imigrantes, como ONGs. Antes de serem colocadas em prática, as leis ainda precisam ser sancionadas pelo presidente Janos Ader.

As novas medidas passaram com 160 votos a favor e 18 contra. O partido conservador do primeiro-ministro Viktor Orbán, o Fidesz, ocupa dois terços das cadeiras do Parlamento, o que facilita a aprovação de leis que sejam de interesse do governo.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.