Quais as divergências sobre a reforma trabalhista na OIT

Entidade ligada à ONU questiona mudanças na legislação brasileira e pede explicações ao Brasil. Em lados opostos, governo e sindicatos têm versões diferentes para julgamento

     

    A OIT (Organização Internacional do Trabalho) quer que o Brasil explique pontos da reforma trabalhista aprovada pelo governo de Michel Temer e em vigor desde novembro de 2017. No início de junho, empresários brasileiros, membros do governo federal, da Justiça do Trabalho e de sindicatos discutiram durante três dias em Genebra supostas violações cometidas pela reforma a convenções internacionais.

    Recentemente, o Brasil foi incluído na lista de violadores de regras internacionais de trabalho por conta de mudanças promovidas pela reforma. A nova lei estaria ferindo o direito de livre organização dos trabalhadores.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.