Ir direto ao conteúdo

O site que reúne mais de 80 marcas e designers de moda africanos

Em inglês, a plataforma Industrie Africa foi lançada com enfoque em consumidores, revendedores e editores de moda

 

Após passar um ano pesquisando a produção de moda contemporânea de 24 das 55 nações africanas, a tanzaniana Nisha Kanabar e a americana Georgia Bobley lançaram, no início de junho de 2018, o site Industrie Africa.

Focada em consumidores, revendedores e editores de moda, a plataforma em inglês reúne mais de 80 designers e marcas pequenas que podem ser pesquisados por país, nível de sustentabilidade e pelas categorias “moda masculina”, “moda feminina” ou “acessórios”.

Em entrevista publicada em 1º de junho de 2018 no site da revista Vogue, Kanabar afirma que a plataforma tem entre seus objetivos viabilizar a comunicação entre designers do continente. “A indústria aqui é tão fracionada. As pessoas na Nigéria sabem pouco sobre o que está acontecendo no Quênia ou em Moçambique”, afirmou.

O site também serve para destacar a produção independente africana. “As pessoas frequentemente veem moda africana como uma moda que vem em ondas, mas ela é tão maior do que isso. Nós queremos mostrar que aqui existe uma diversidade de talentos que desafia todas as expectativas.”

Uma das marcas exibidas é a focada em moda masculina Laurenceairline, que atua na Costa do Marfim e na França. Ela foi fundada em 2010 pela designer Laurence Chauvin-Buthaud.

 

Em entrevista concedida em 2013 ao site Dazed, ela afirmou que, com a marca, buscava “criar uma linha muito simples de roupas para homens, com a camisa como base da coleção”. "Eu decidi trabalhar com tecido africano. Para mim, era interessante dar uma nova leitura ao tecido, em uma forma não tradicional.”

Entre os destaques em junho de 2018 no Industrie Africa está a coleção da nigeriania Lisa Folawiyo, cujos vestidos já foram usados pela atriz queniana Lupita Nyong’o, assim como pela cantora e modelo americana Solange Knowles.

Em entrevista publicada em 2017 na Vogue, Folawiyo afirmou: “moda em Lagos, e na Nigéria como um todo, é e sempre foi uma parte enorme de nossa cultura e identidade… E através do design de moda, eu recebi uma plataforma maravilhosa para contar minhas histórias para o resto do mundo”.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

Mais recentes

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!