3 versões da crise: entre o excesso de caminhões e a recessão

Governos Lula e Dilma financiaram caminhões a taxas de juros subsidiadas principalmente entre 2009 e 2013. Impacto da medida no preço do frete motiva debate entre economistas

 

No fim de maio de 2018, dez dias de paralisação de caminhoneiros causaram a maior crise de desabastecimento do Brasil em décadas, além do momento mais turbulento para o governo de Michel Temer desde a delação da JBS, um ano antes.

O movimento de caminhoneiros foi apoiado por empresas de transporte que reclamavam do preço do diesel, mas dificilmente teria chegado àquela proporção sem a insatisfação de motoristas autônomos com as condições de trabalho.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.