O que é colorismo. E a discussão sobre quem deve interpretar Ivone Lara

Escolha da cantora paulistana Fabiana Cozza, negra de pele mais clara que a de Lara, foi criticada nas redes sociais. No domingo (3), Cozza declarou ter se retirado da produção

 

A sambista Dona Ivone Lara morreu em 16 de abril de 2018, no Rio de Janeiro, aos 97 anos. Pioneira, a “rainha do samba” foi a primeira mulher a assinar um samba-enredo oficial e abriu caminho para outras compositoras e intérpretes do gênero.

Parte de um projeto que homenageia grandes nomes do samba, o musical “Dona Ivone Lara – Um Sorriso Negro” tem previsão de estreia para setembro de 2018 no Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.