O efeito da crise dos caminhoneiros na economia e nos cofres públicos

Com mercadorias paradas nas estradas e incertezas sobre as próximas semanas, investimentos podem ser cancelados e consumo se retrair

     

    A paralisação de caminhoneiros e empresas de transporte rodoviário são o principal acontecimento do país em 2018. O movimento é a causa da maior crise política do governo Michel Temer desde que o presidente conseguiu se livrar no Congresso das acusações feitas no âmbito das delações da JBS.

    Desde o início da greve, em 21 de maio, o governo Temer já anunciou dois acordos com os caminhoneiros, mas os bloqueios continuam. Levantamento divulgado pela Polícia Federal na tarde de segunda-feira (28) apontava 556 trechos de bloqueio em todo o país.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.