Por que o ‘sim’ ao aborto na Irlanda é histórico. E qual a situação europeia

População se mostrou favorável à descriminalização em referendo. Ao mesmo tempo, ofensiva antiaborto se alastra nos países do continente europeu

 

Mais de 66% dos irlandeses disseram sim à mudança da lei de aborto no país, uma das mais restritivas do mundo, em um referendo realizado no dia 25 de maio. Cerca de 64% da população participou da consulta.

O “sim” diz respeito à revogação da 8ª emenda constitucional, que equiparava o direito à vida da mãe ao do feto. A emenda de 1983 tornou o aborto ilegal no país em todas as circunstâncias – até 2013, quando a interrupção da gravidez passou a ser permitida no país somente em caso de risco de vida para a mãe.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.