Como o uso de militares nas estradas confunde entusiastas da ‘intervenção’

Grupos que querem militares no governo tentam manter mobilização dos caminhoneiros. Chefe do Exército é chamado de ‘comunista’

 

A mobilização iniciada por caminhoneiros no dia 21 de maio, com a intenção de protestar principalmente contra o preço dos combustíveis, acabou se tornando um palanque privilegiado para defensores da volta da ditadura militar no Brasil.

O enlace entre caminhoneiros e defensores da chamada “intervenção militar” é confusa. Na segunda-feira (28), líderes da paralisação disseram que os motoristas queriam voltar ao trabalho, mas os “intervencionistas” não deixavam.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.