Quais as críticas ao uso de militares na assistência a imigrantes

Conselho Nacional de Direitos Humanos pede a Temer que reveja o papel das Forças Armadas na acolhida a venezuelanos

 

Um mesmo fato está sendo celebrado e lamentado, ao mesmo tempo, por instituições de visões opostas no nível federal: a política de acolhida e de manejo dos 111.581 venezuelanos que entraram no Brasil entre 2017 e os três primeiros meses de 2018.

A Operação Acolhida, como é chamada, foi um sucesso, na visão da Casa Civil, do Ministério da Defesa e da Presidência da República. Porém, para o Conselho Nacional de Direitos Humanos, essa operação teve a característica nociva de “militarizar a resposta humanitária” dada à questão migratória no Brasil, ao delegar às Forças Armadas papel central na questão.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.