Ir direto ao conteúdo

O mapa da galáxia com informações sobre 1,7 bilhão de estrelas

Agência Espacial Europeia disponibiliza também um banco de dados coletados pela missão espacial Gaia

 

Em 25 de abril de 2018, a Agência Espacial Europeia lançou um banco de dados com informações de estrelas sobre a Via Láctea, a galáxia em que o Sistema Solar e a Terra se inserem. Se trata do mais completo já produzido, mas não chega a 1% das estrelas da galáxia.

Criada em 1975, a agência espacial é composta hoje por 22 países europeus, e se dedica à exploração do espaço. O banco de dados foi desenvolvido a partir de registros captados pela missão espacial Gaia sobre cada estrela por meio de câmeras potentes e dois telescópios.

As informações obtidas também são usadas para alimentar um mapa interativo em 360 graus da Via Láctea. Ele traz informações sobre determinados pontos do Sistema Solar, e links para mais dados.

É possível clicar em uma caixa que sorteia um ponto a ser analisado. Por exemplo, a M16, Messier 16 ou Nebulosa da Águia, uma região de formação de estrelas na constelação de Serpens a 7.000 anos-luz da Terra.

Segundo uma nota à imprensa da Agência Espacial Europeia, a Gaia foi lançada em dezembro de 2013, e passou a operar no ano seguinte. O primeiro conjunto de dados divulgado trazia informações sobre distância e movimento de 2 milhões de estrelas.

O lançamento de dados atual traz informações sobre 1,7 bilhão de estrelas, e com mais precisão. Com base nos dados disponíveis é possível calcular a movimentação e velocidade de 1,3 bilhão das estrelas.

Os registros também incluem informações sobre brilho, tamanho e temperatura das estrelas e dados sobre 14 mil asteroides presentes no Sistema Solar.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Continue sua leitura

Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: