Quais as vitórias e derrotas recentes da extrema direita na Europa

Ultranacionalistas da Hungria conquistam ampla maioria em eleição. Outros países do continente vivem fenômeno semelhante

As mais recentes eleições na União Europeia têm colocado em evidência dois grandes grupos: os favoráveis e os contrários ao bloco econômico. Cada campanha nacional tem sido um termômetro para essas forças antagônicas. A mais recente foi na Hungria, em que venceu o nacionalismo antibloco.

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, foi reeleito no domingo (8). Sua principal pauta de campanha foi o combate à entrada de imigrantes e refugiados no país, como forma de preservar uma Hungria “cristã e com valores nacionais”.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.