Quem foi Osho. E por que estão fazendo uma série sobre sua vida

Entre os anos 1960 e 1990, líder espiritual indiano reuniu cerca de 300 mil seguidores e tomou conta de uma cidade, nos Estados Unidos, com a criação de polêmica comunidade alternativa

     

    A série documental “Wild Wild Country”, dirigida pelos irmãos Chapman e Maclain Way e produzida pela Netflix, revisita a história da comunidade criada em torno do guru indiano Bhagwan Shree Rajneesh, conhecido como Osho — uma passagem obscura da história recente dos Estados Unidos. Osho foi um dos líderes espirituais mais populares do mundo.

    Iniciado na Índia, na década de 1960, o grupo de seguidores que vivia numa ashram, espécie de retiro de meditação e vivências, foi transferido para o deserto de Wasco, em Oregon, em 1981. Cerca de 2.000 pessoas foram em direção à América, guiadas pelos ideais de paz, liberdade por meio da meditação e livre expressão da sexualidade — à época, Osho ganhou da imprensa o apelido de “guru do sexo”. O mestre propunha uma maneira de se relacionar com a espiritualidade sem que fosse necessário negar os hábitos e vícios do mundo material, como o sexo livre da contracultura, que expandiria a consciência, e o dinheiro.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.