Por que tampar rios tem impacto nas enchentes de cidades brasileiras

Para urbanista e geógrafo do projeto Rios e Ruas, abordagem da população e autoridades em relação aos cursos d'água urbanos deve ser revista

 

Chuvas fortes que atingiram São Paulo no dia 20 de março trouxeram o conhecido roteiro de ruas inundadas, carros ilhados, casas danificadas e até mortes. Quatro dias antes, ruas e avenidas de Belo Horizonte se transformaram em volumosas corredeiras que arrastaram carros aos montes.

Na capital paulista, o secretário das Prefeituras Regionais de São Paulo, Claudio Carvalho, disse que a prefeitura tinha feito a sua parte em relação a limpeza de bueiro, galerias e córregos. Mas o esforço teria sido em vão diante da precipitação maior que o normal. “Foi um índice acima da média, 55 mm de precipitação em uma hora nas regiões central e oeste da cidade”, afirmou à GloboNews.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.