11 viram réus por Pasadena: qual a origem do caso e o destino da refinaria

Compra de unidade no Texas virou símbolo da má administração na Petrobras, abalou Dilma Rousseff e agora pode levar à condenação de agentes públicos

     

    O ex-senador Delcídio do Amaral e outras dez pessoas serão julgados por corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro pelo negócio que resultou na compra da refinaria de Pasadena, no Texas, pela Petrobras em 2006. A denúncia, feita pela força-tarefa da Operação Lava Jato, foi aceita pelo juiz federal Sergio Moro na quarta-feira (14).

    O Ministério Público, na denúncia apresentada à Justiça, diz que a compra de 50% da refinaria pela estatal brasileira envolveu pagamento de propinas. Por esse motivo, dizem os procuradores da República, funcionários da Petrobras ignoraram informações sobre a precariedade das instalações que estavam sendo adquiridas.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.