Qual o impacto da morte de Marielle Franco sobre a onda conservadora

O filósofo e professor de gestão de políticas públicas Pablo Ortellado fala ao 'Nexo' sobre possíveis efeitos da comoção pública provocada pelo assassinato da vereadora militante de direitos humanos

     

    O assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista dela, Anderson Pedro Gomes, na quarta-feira (14), na região central do Rio de Janeiro, levou milhares de pessoas às ruas.

    As homenagens póstumas a Marielle lotaram locais simbólicos – como a Cinelândia e a avenida Paulista –, mobilizando não apenas grupos ligados à defesa dos direitos humanos, mas também quem simplesmente quis demonstrar seu rechaço à violência e cobrar uma investigação competente do crime.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.