3 diferenças entre as migrações haitiana e venezuelana no Brasil

Ondas migratórias recentes desafiam governo e sociedade, embora percentual total de estrangeiros no país seja baixo

 

Em 2010, foi o Haiti. Em 2018, a Venezuela. Em menos de uma década, a sociedade civil e o governo brasileiro foram confrontados duas vezes com ondas migratórias provocadas por crises econômicas, políticas e sociais nesses dois países.

O número total de imigrantes presentes no Brasil é pequeno, não passa de 1% da população total. No mundo, a média é de pouco mais de 3%. Ainda assim, o aumento súbito de entrada de haitianos e venezuelanos em território nacional deu destaque incomum ao tema, causando a sensação de que ambos os fluxos migratórios superam a capacidade de absorção.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.