Intervenção federal no Rio: as justificativas e as contestações

Pela primeira vez desde a Constituição de 1988, governo assume setor inteiro de um estado. Objetivo declarado é conter violência. Medida é contestada

 

Michel Temer decretou nesta sexta-feira (16) uma intervenção federal no estado do Rio de Janeiro, com duração prevista até 31 de dezembro de 2018, último dia de seu mandato na Presidência da República. O interventor será o general do Exército Walter Souza Braga Netto.

É a primeira vez que o Brasil tem um estado da federação sob intervenção do governo federal – e sob comando de um general do Exército – desde a Constituição de 1988.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.