Quem foi Caó, autor de lei que definiu o crime de racismo no Brasil

Carlos Alberto Caó Oliveira, jornalista e ex-deputado que morreu neste domingo (4), aos 76 anos, deu nome à Lei Caó, que define os crimes por preconceito de raça ou de cor e os tornou imprescritíveis na Constituição Federal

 

Morreu neste domingo (4), aos 76 anos, o jornalista, ex-deputado federal e militante do movimento negro Carlos Alberto Caó Oliveira. Em vida foi reconhecido por seu trabalho na imprensa como repórter e editor de política e economia, e por suas contribuições à Constituinte de 1987 e 1988, incluindo, por exemplo, inciso que tornou inafiançável e imprescritível o crime de racismo. Posteriormente, o parlamentar foi autor de lei específica sobre o tema, que ganhou o nome de Lei Caó.

Em nota, a ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, lamentou a morte de Caó. “Hoje um grande líder se foi, mas seus ensinamentos e legado ficam, mostrando que é possível conquistar um país mais justo e igualitário. A história do Dr. Caó representa a luta do povo negro brasileiro e a recompensa por enfrentarmos o racismo e labutarmos para alcançar os espaços que são nossos por direito”, disse.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.