Como Honduras testa a democracia latino-americana

OEA manda refazer eleição contestada, mas países da região consideram que falhas não comprometem resultado final

 

O presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, foi reeleito em 26 de novembro de 2017 e tomou posse, sob violentos protestos de rua, no sábado (28), em Tegucigalpa, capital do país da América Central, para um novo mandato de quatro anos.

A disputa foi marcada por acusações de fraude. A oposição diz que Hernández, com o controle dos órgãos eleitorais nas mãos, manipulou as atas de votação. As denúncias foram corroboradas em grande medida por observadores internacionais. Porém, a maioria dos países da região – incluindo o Brasil – resolveu reconhecer o novo presidente, embora nenhum chefe de Estado tenha comparecido à cerimônia de posse.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.