Como é o acordo entre MPF e Santander sobre a mostra Queermuseu

Em termo de compromisso, braço cultural do banco fica obrigado a realizar duas novas mostras com foco em diversidade

    Temas
     

    O MPF-RS (Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul) determinou que o Santander compense o encerramento antecipado da exposição Queermuseu, em setembro de 2017, com duas mostras cujo foco seja a diversidade.

    De acordo com a avaliação do MPF-RS houve “lesão à liberdade de expressão artística” no cancelamento da mostra, motivado por uma onda de protestos em torno de obras acusadas de promover pedofilia e zoofilia.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.