Ir direto ao conteúdo

Como soavam as primeiras músicas de Natal tocadas em um computador

Pesquisadores reconstruíram canções natalinas executadas em computador de laboratório de Alan Turing

     

    Em 2016, a humanidade teve acesso a uma música composta por um computador pela primeira vez. Em 2017, uma rede neural artificial conseguiu criar um CD inteiro de metal – e foi elogiada pelas músicas. Mas, há 66 Natais, os computadores impressionavam o público com uma capacidade que hoje parece muito simples: a de tocar canções natalinas.

    Duas músicas foram reproduzidas por um computador durante a programação de Natal da rádio britânica BBC, em 1951. O público pôde ouvir, pela primeira vez, canções natalinas que não eram interpretadas por seres humanos, mas tocadas por uma máquina. As tradicionais “Jingle Bells” e “Good King Wenceslas” soaram no computador Ferranti Mark 1, que pertencia ao laboratório do matemático Alan Turing, na Universidade Victoria de Manchester, na Inglaterra.

    Turing é conhecido por ter quebrado o código Enigma, usado na comunicação entre nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. A história deu origem ao filme “O Jogo da Imitação”, de 2014.

     

    “A BBC transmitiu duas melodias que, apesar de serem reconhecidas instantaneamente, não soavam como nada conhecido na Terra”, escrevem os pesquisadores Jack Copeland e Jason Long, em um post publicado no blog da Biblioteca Britânica.

    Os áudios disponibilizados pelo blog da Biblioteca Britânica não são das gravações originais, mas reconstruções das canções executadas pelo computador naquele Natal. Copeland e Long usaram gravações de outras músicas executadas pelo computador antes da transmissão natalina. Os pedaços das gravações foram recortados e arranjados novamente para reconstruir o som das melodias natalinas. “Foi um Lego musical”, escrevem.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!