A árvore gigante recém-catalogada no Espírito Santo

Jueirana-facão chega a 40 metros e já era conhecida pela população local, mas não pela ciência. A espécie guarda parentesco com uma árvore amazônica

     

    Distribuída por 17 estados, do Ceará ao Rio Grande do Sul, a Mata Atlântica é o bioma mais devastado do Brasil - biomas são ecossistemas que possuem vegetação, solo, clima, fauna e flora relativamente homogêneos. Atualmente, restam apenas 12% da cobertura original, o que contribui para que ela seja também o bioma com o maior número de espécies extintas catalogadas.

    Mesmo com a devastação, a Mata Atlântica continua rica em seres vivos ainda não descritos. Em outubro, um trio de pesquisadores do Canadá, Reino Unido e Brasil publicou um artigo catalogando um gigante que havia até então passado batido pela comunidade científica: uma árvore de 40 metros de altura e 62 toneladas, encontrada em uma reserva de mata no Espírito Santo.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.