A robô feminista que monitora leis e ajuda a pressionar deputados

Chatbot Beta, lançado em 2017, notifica quem estiver interessado e envia e-mails ao poder público para defender direitos das mulheres

     

    Na terça-feira (5), foi adiada novamente a votação dos destaques da PEC 181/2015 na Câmara dos Deputados. A princípio, a proposta de emenda constitucional tinha o objetivo de ampliar a licença-maternidade de mulheres que dão à luz a crianças prematuras.

    Uma alteração na emenda, porém, faz com que, se aprovada, a PEC suspenda os três casos em que o aborto é legal no Brasil: gravidez originada de estupro, anencefalia do feto e risco à vida da gestante. O texto principal já foi aprovado pela Câmara no dia 8 de novembro e, entre os destaques a serem votados nessa etapa, há uma proposta de suprimir o trecho que interfere no direito ao aborto.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.