Como a França tenta conter uma onda de suicídios de policiais

Desde o início de 2017, 60 agentes tiraram a própria vida, seis deles num intervalo de apenas cinco dias

     

    O Ministério do Interior da França anunciou no domingo (12) que estuda medidas emergenciais para impedir que seus agentes de segurança pública – policiais e guardas – tirem a própria vida.

    Num intervalo de apenas cinco dias, entre 7 e 12 de novembro, foram registrados seis suicídios de policiais no país. O mais recente deles, de Antoine Boutonnet, 50 anos, que, por oito anos, chefiou o setor responsável pelo policiamento de torcidas de futebol na França.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.