Por que crianças devem correr riscos, segundo especialistas

Desafios fora da 'zona de conforto' são fundamentais para os aspectos físicos e psicológicos do desenvolvimento infantil

     

    A ideia de ter um filho “correndo riscos” certamente não é bem-vista por mães e pais em geral. Mas diversos educadores e profissionais da área vêm defendendo a importância do risco para diferentes aspectos do desenvolvimento infantil: da autoconfiança à coordenação motora. Para esses especialistas, lidar com riscos na infância tem influência no modo como se negocia situações mais complicadas na vida adulta.

    Em setembro de 2017, a ISGA (International School Grounds Alliance), entidade que reúne organizações educacionais de diversos países, divulgou uma declaração em que defende a importância do risco na vida infantil. “Uma vez que o mundo é cheio de riscos, as crianças precisam aprender a reconhecer e reagir a eles para se proteger e desenvolver suas próprias capacidades de avaliação de risco”, afirmou o documento lançado em uma conferência da entidade em Berlim.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.