Ir direto ao conteúdo

O mapa dos pontos de venda de produtos orgânicos no Brasil

Plataforma on-line com mais de 648 iniciativas catalogadas foi atualizada em 12 de setembro pelo Instituto de Defesa do Consumidor

 

Lançada na terça-feira (12) pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), uma atualização da plataforma on-line Mapa de Feiras Orgânicas permite encontrar pontos de venda em todo Brasil. Ela foi lançada originalmente em 2012.

Ao todo, são catalogadas 648 iniciativas que promovem o comércio de produtos orgânicos. A plataforma está disponível em aplicativos para Android e iOS e traz seções com receitas e uma biblioteca de artigos sobre temas ligados à agricultura orgânica.

É possível buscar feiras por região, estado e município, ou então marcar um ponto de partida e buscar a feira mais próxima. A plataforma traz três tipos de pontos de compra de produtos.

Feiras Orgânicas

Também chamadas de agroecológicas, são aquelas que permitem comprar diretamente do produtor

Comércios Parceiros

São pontos de venda fixos geridos pelos produtores ou então que compram diretamente deles em uma relação “transparente e justa” que permita cobrir os custos da produção, segundo a plataforma

Grupos de Consumo

São grupos de consumidores que se organizam para comprar diretamente dos produtores em pacotes. Isso pode ocorrer via cestas de alimentos orgânicos entregues periodicamente, por exemplo. Quem deseja entrar em contato com produtores e criar iniciativas do tipo pode buscá-los no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Os princípios da agricultura orgânica

A agricultura orgânica busca evitar danos ao meio ambiente, assim como promover uma alimentação mais saudável. Para tanto, ela adota métodos alternativos a práticas da agricultura convencional.

Entre as medidas estão o veto a agrotóxicos e a promoção do manejo sustentável da lavoura. Isso envolve plantar culturas adequadas ao clima e características do solo locais, evitando produtos químicos que poderiam alterá-lo, garantir períodos de descanso do solo e promover a rotação de culturas, mesmo que isso signifique plantar variedades menos rentáveis.

No geral, a agricultura orgânica é baseada em um uso mais intensivo de mão de obra. Além de buscarem alimentos com menos produtos químicos, muitos dos compradores aderem aos orgânicos para remunerar melhor o trabalho rural.

É comum que os adeptos privilegiem alimentos produzidos localmente, o que diminui perdas e uso de recursos naturais, como combustíveis, durante o processo de transporte.

Uma das formas de garantir a compra de produtos locais e uma remuneração melhor do trabalho é comprar diretamente do produtor, o que em geral também permite obter produtos por um preço mais em conta do que nos supermercados.

Há compradores que concordam em comprar de produtores que não aplicaram todos os procedimentos previstos pela agricultura orgânica por entender que há um período de transição, e os agricultores que estão se adaptando devem ser fomentados.

 

Tipos de produtos orgânicos

Produtos orgânicos certificados

Recebem selos que garantem aos consumidores que as práticas foram seguidas. Isso é importante, por exemplo, para quem compra em redes de supermercado e não tem nenhum contato com os produtores. O processo de certificação é concedido por entidades chamadas de “organismos certificadores da conformidade orgânica” credenciados ao Ministério da Agricultura. O selo aumenta, no entanto, o preço final do produto

Produtos orgânicos não certificados

São produzidos a partir das práticas da agricultura orgânica, mas não têm o selo que comprove isso. A certificação sobre o produto ocorre com base em visitas feitas diretamente pelos consumidores ou por participantes de grupos que eles integram ou em que confiam

Produtos de transição agorecológica

Uma fazenda que utilizava agrotóxicos originalmente, mas muda todas as suas práticas para as da produção orgânica não pode ser imediatamente considerada uma fazenda orgânica porque o solo ainda contém resquícios das substâncias tóxicas. Os produtos desse momento de transição da prática tradicional para a orgânica estão “em transição agroecológica”

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

Mais recentes

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!