Reforma política: o que muda na troca de coligação por federação

Proposta aprovada em primeira votação na Câmara veda alianças entre as legendas para eleição de deputados e vereadores. Dois cientistas políticos avaliam a ideia

     

    Em meio às reviravoltas da crise brasileira, a Câmara deu continuidade à votação de parte da reforma política. Na terça-feira (5), os deputados aprovaram o texto-base de uma das propostas em tramitação que tem por objetivo principal reduzir o número de partidos no país.

    O texto-base precisa ser votado uma segunda vez, o que está previsto para ocorrer na próxima semana. Mas pode haver mais mudanças, já que os deputados apresentaram os chamados “destaques”, que alteram trechos da proposta e precisam ser votados separadamente. Um deles, por exemplo, pede que as regras comecem a valer em 2020 e não em 2018, como propôs a relatora, deputada Shéridan (PSDB-RR).

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.