Por que Temer quer vender a Eletrobras. E quais os efeitos da medida

Com dificuldade de equilibrar as contas públicas e sem espaço para aumentar tributos, Ministério de Minas e Energia anuncia intenção de abrir mão do controle da companhia

    O Ministério de Minas e Energia anunciou na noite de segunda-feira (21) que vai propor a privatização da Eletrobras, estatal brasileira responsável pela geração e distribuição de energia. Mesmo sem detalhes de como e quando será a venda, o anúncio fez as ações da empresa disparar e provocou reações no meio político.

    A Eletrobras Centrais Elétricas Brasileiras S.A. responde por 31% da geração de energia do país e por 47% das linhas de transmissão. Nos últimos anos, seu valor de mercado vinha diminuindo e, entre 2012 e 2015, a companhia somou prejuízos de R$ 30 bilhões. Em maio de 2017, a estatal voltou a registrar um resultado positivo no primeiro trimestre.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.