Os supremacistas que tiveram um resultado de DNA ‘impuro’

Dois terços de pessoas pesquisadas em site racista descobriram que não são 100% brancas europeias

 

Supremacistas brancos lidam de maneiras curiosas com teste genético que mostra que suas origens não são 100% brancas. Este fenômeno está em estudo recém-publicado por dois sociólogos americanos, Aaron Panofsky e Joan Donovan. Para produzir o levantamento, os pesquisadores examinaram anos de posts no Stormfront, um site nacionalista e neonazista mantido por Don Black, ex-líder da Ku Klux Klan.

Os pesquisadores escolheram o Stormfront pelo seu tempo de existência. Lançado na década de 1990, contém um extenso acervo, totalizando 12 milhões de posts escritos por 300 mil membros. Desse montante, 153 usuários foram separados para análise.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.