Por que o Exército quer mudar o jeito de julgar militar que mata civil

General Villas Boas diz que homicídios cometidos por membros das Forças Armadas em missões de segurança pública não devem ser assunto para a Justiça comum

     

    Pela 12ª vez em dez anos, as Forças Armadas estão exercendo funções de Polícia no Rio de Janeiro. Esse emprego reiterado de militares nas ruas fez com que o comandante do Exército reivindicasse maior “segurança jurídica” para suas tropas.

    No dia 7 de agosto, o general Villas Boas publicou a seguinte mensagem em sua conta no Twitter:

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.