Por que cachorros estão fazendo parte do dia a dia de escolas nos EUA

A simples presença dos animais no ambiente escolar é vista como um fator positivo por alunos e educadores

     

    Diretores, professores, funcionários e um cachorro. Desde o início de 2017, esse é o quadro de profissionais que participam das atividades diárias de 37 escolas públicas no estado de Nova York, nos EUA. Até 2016, apenas sete instituições contavam com os chamados “cães de conforto” entre seus estudantes, mas o governo decidiu ampliar o projeto para outras 30 escolas da cidade.

    Os animais fazem parte de um projeto curricular chamado Mutt-i-grees (mutt, em inglês, significa vira-lata), desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Yale em parceria com instituições de resgate de animais abandonados. A ideia é fazer com que a presença de cachorros ajude no desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais entre as crianças.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.