Qual o debate sobre o 1º animal geneticamente modificado liberado para consumo

Salmão que cresce mais rápido que os demais, desenvolvido por empresa americana, já pode ser consumido no Canadá

     

    Quatro toneladas e meia de salmão da empresa americana AquaBounty chegou aos mercados canadenses no dia 4 de agosto. Nada digno de nota, não fosse o fato de que se trata de um peixe geneticamente modificado, o primeiro animal do tipo sendo vendido para consumo.

    O peixe é um salmão do Atlântico (Salmo salar) com uma combinação genética de outras espécies que fazem com que ele cresça muito mais rápido que o normal. Como consequência, o salmão modificado chega ao tamanho ideal para comercialização e consumo com 18 ou 20 meses – o convencional leva de 28 a 36 meses –, a metade do tempo do original. Segundo a empresa, o animal também consome de 20% a 25% menos alimento para se desenvolver.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.