O que é o 'currículo cego', que ganha espaço em grandes empresas

Método adotado como política pública em países europeus pretende acabar com a discriminação na hora de selecionar candidatos a uma vaga de emprego

    Um grupo de 78 empresas na Espanha, incluindo algumas grandes multinacionais, universidades e associações profissionais, aderiu em julho a uma iniciativa do governo para adotar, em seus processos de seleção de novos funcionários, o modelo de “currículo cego”.

    Nesse método, os candidatos a uma vaga de emprego são requisitados a não incluir em seus resumos profissionais informações pessoais como foto, endereço, idade, gênero ou nacionalidade. O nome seria substituído pelas iniciais, e o endereço de email para contato também deve esconder esses fatores.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.