Ir direto ao conteúdo

Qual foi o primeiro beijo entre pessoas do mesmo sexo no cinema

Único longa da era do cinema mudo que ganhou o Oscar de melhor filme, ‘Asas’ era arrojado para a moral da época, com beijo entre homens e nudez

    O beijo é um dos grandes lugares-comuns do cinema. O primeiro beijo registrado em movimento data, inclusive, dos primórdios de sua história: trata-se do curta “The Kiss”, filmado por Thomas Edison em 1896. O inventor da lâmpada incandescente foi também um dos pioneiros na criação de máquinas cinematográficas.  

     

    Apesar de ter aparecido desde cedo nas telas, o beijo era então uma questão moral séria: suas primeiras aparições foram criticadas e até banidas das salas de cinema. Mesmo quando Hollywood “liberou” o beijo, nos anos 1920, a cena ainda podia ser censurada se fosse considerada “libidinosa” ou se ultrapassasse três segundos de duração.

    Era de se esperar, portanto, que um beijo entre pessoas do mesmo sexo no cinema nessa época causasse grande estardalhaço entre espectadores e membros da indústria.

    Mas não foi o que aconteceu. “Asas”, filme de 1927, conta com um beijo entre dois homens, os atores Buddy Rogers e Richard Allen — que ficou convencionado como o primeiro beijo gay da história do cinema.

    A cena, no entanto, não provocou nem um erguer de sobrancelhas de surpresa ou indignação na época, segundo o professor da Universidade de Toronto Marcel Danesi, autor do livro “History of the Kiss: The Birth of Popular Culture” (História do beijo: o nascimento da cultura pop, em tradução livre).

    A explicação para a recepção mais que amena, e sim calorosa, do beijo e do filme, está no fato de não ter sido visto, na época, como um beijo romântico.

    “Asas” é ambientado durante a Primeira Guerra Mundial e tem como mote principal um triângulo amoroso entre os dois homens que protagonizam o beijo e a atriz Clara Bow. Ambos são apaixonados por ela e se tornam pilotos de guerra. Foi o único filme da era do cinema mudo a ter recebido um Oscar de melhor filme.

    De acordo com o livro de Danesi, o beijo era uma prática comum entre soldados do mesmo lado nas trincheiras da Primeira Guerra. Ele acontece quando o personagem de Rogers, chamado John Powell, se despede do amigo que está morrendo, David Armstrong.

    Mesmo sem adquirir conotação romântica na época, para Danesi, o beijo cinematográfico teve impacto duradouro, ainda que inconsciente, em um processo de abertura da moral rígida que regia os EUA dos anos 1920.

    A nudez, outro tabu do cinema do começo do século, também aparece em “Asas”: há, por exemplo, cenas do exame a que homens são submetidos no exército, completamente nus. O longa foi um dos primeiros filmes de grande circulação, também, a conter cenas de nudez.

    ESTAVA ERRADO: A primeira versão desse texto dizia que "Asas" foi o único filme mudo a receber o Oscar de Melhor Filme. Na verdade, ele foi o único filme da era do cinema mudo a ser premiado na categoria, já que "O Artista", filme mudo de 2011, também foi laureado com o prêmio. A informação foi corrigida às 19h28 do dia 13 de julho de 2017.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: