Ingresso na balada: por que cobrar valor diferente de homem e mulher foi proibido

Ministério da Justiça vetou a prática, difundida em bares e casas de show. Duas advogadas ouvidas pelo ‘Nexo’ avaliam a decisão

    Cobrar menos ou até isentar mulheres do pagamento pela entrada em bares, baladas e locais do tipo é uma prática comum em diversas cidades brasileiras, como mostrou uma reportagem do programa “Fantástico”, da TV Globo, veiculado no dia 25 de junho.

    Essa cobrança diferenciada passou a ser proibida de acordo com uma orientação técnica divulgada na segunda-feira (3) pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.