De chavista a crítica de Maduro: o caso da procuradora-geral da Venezuela

Luisa Ortega Díaz é a principal voz contrária ao presidente dentro da atual estrutura de poder. Ela engrossa a lista de antigos seguidores de Hugo Chávez que hoje mostram insatisfação

     

    O Tribunal Supremo de Justiça venezuelano, equivalente ao Supremo Tribunal Federal brasileiro, deu início na terça-feira (4) à audiência que pode destituir a procuradora-geral do país, Luisa Ortega Díaz, do cargo que ocupa desde 2007. Díaz é considerada uma das principais vozes contrárias ao presidente Nicolás Maduro dentro da estrutura de poder atual.

    A denúncia contra Díaz acatada pelo Supremo é de que a procuradora cometeu "faltas graves no exercício de seu cargo". Segundo o autor da acusação - um deputado pró-Maduro -, ela é omissa com relação à violência de manifestantes contra o governo, e ainda teria se convertido em uma das principais apoiadoras dos protestos que vêm sendo realizados desde março no país.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.