O que há na denúncia criminal contra Temer. E o que ficou para depois

Primeira acusação de Janot trata do pagamento de R$ 500 mil a ex-assessor do presidente. Outras suspeitas continuam em investigação e podem resultar em mais denúncias

     

    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acusa Michel Temer de ter cometido o crime de corrupção passiva no exercício da Presidência. O centro da denúncia, apresentada ao Supremo Tribunal Federal na segunda-feira (26), é a relação mantida entre Temer e o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS.

    Mas há outros crimes, que não constam da denúncia, atribuídos ao presidente da República a partir das delações premiadas dos proprietários e executivos da maior processadora de carnes do mundo e maior doadora eleitoral do Brasil. São eles obstrução de Justiça e organização criminosa. Essas suspeitas serão, possivelmente, alvo de uma nova denúncia de Janot.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.