Quais os argumentos de economistas de escolas diferentes sobre contas públicas e o Brasil

Debate na Fundação Getúlio Vargas expõe diagnósticos diferentes sobre causas da crise e medidas necessárias para superá-la

     

    O Brasil viveu, entre 1994 e 2014, duas décadas de melhoras de índices econômicos. Em um primeiro momento foi controlada a hiperinflação, depois conseguiu-se uma certa estabilidade no dólar, a diminuição do desemprego e o aumento de renda da população em geral.

    Nos últimos três anos, no entanto, o país mergulhou em uma das mais graves e profundas crises econômicas de sua história. Durante esse período, o PIB (Produto Interno Bruto), soma de tudo que a economia produz, diminuiu 7,7% e muitas das melhorias conquistadas nas décadas anteriores foram perdidas.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.