Ir direto ao conteúdo

Qual o quadro do investimento estrangeiro direto no Brasil

País ainda é um destino importante para recursos, mas entusiasmo diminuiu nos últimos anos

    Mesmo com todas as turbulências políticas e a recessão econômica, que já dura três anos, o Brasil deve continuar sendo um dos destinos mais lembrados do mundo para investimentos diretos. Um relatório da Unctad (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) perguntou a executivos de empresas multinacionais de todo o mundo para quais países eles pretendem destinar recursos nos próximos anos e mostrou que os emergentes, entre os quais o Brasil, ainda são os mais lembrados.

    O investimento estrangeiro direto é aquele em que o dono do dinheiro faz uma aplicação duradoura em outra economia. É qualquer aporte feito para ampliar a capacidade de produção do país, seja na criação ou ampliação de uma empresa. A transferência de recursos de uma empresa multinacional para uma filial no Brasil é considerada investimento estrangeiro direto. É diferente de um investidor que faz operações com ações ou moeda no curto prazo, buscando ganhos rápidos.

    Entre os seis países mais citados, apenas um é desenvolvido: os Estados Unidos. Os outros cinco países no topo da lista, todos em desenvolvimento, têm em comum o fato de terem um mercado interno grande ou em expansão. O Brasil aparece na sexta posição no levantamento, feito antes de estourar a mais recente crise envolvendo a delação de executivos da JBS.

    Destinos de investimentos para 2017-2019

    1. Estados Unidos
    2. China
    3. Índia
    4. Indonésia
    5. Tailândia
    6. Brasil

    Apesar da sexta posição nas projeções para o futuro, o Brasil vem perdendo recursos nos últimos anos. O volume de recursos investido no país em 2016 foi 39% menor do que em 2011.

    História recente

    Os investimentos estrangeiros são importantes principalmente em países onde falta poupança. Se os empresários e empresas não conseguem guardar dinheiro, o investimento de outros países são uma alternativa. Os estrangeiros assumem o risco de investir e ficam com o rendimento. O país também ganha com a geração de empregos e renda.

    Com o Brasil passando por uma das mais graves crises de sua história, faltam recursos para ampliar produção, contratar funcionários e aumentar os negócios — além de faltar confiança no retorno do investimento. A queda no investimento no Brasil foi tão acentuada nos últimos anos que mesmo com a diminuição dos recursos de fora em valores brutos, cresceu a participação deles no total investido.

    Quanto do total investido é estrangeiro

    O Brasil vem de décadas recebendo investimentos estrangeiros. Isso faz com que o chamado estoque, o total investido aqui, aumente a cada ano. Em 2016, todo o dinheiro investido nas últimas décadas que permanecia no país era US$ 625 bilhões, ou 35% do PIB.

    Quanto está investido

    Como anda o mundo e maiores destinos

    O investimento estrangeiro direto passa por uma crise no mundo todo. Em 2016, o volume total no planeta caiu 2%. Os países em desenvolvimento, como o Brasil, foram os mais afetados, com uma queda de 14% no ano passado. O relatório da Unctad prevê uma modesta recuperação causada principalmente pelo aumento no investimento entre os países mais ricos. Em 2016, o Brasil foi o sétimo país do mundo com mais investimentos estrangeiros.

    Maiores destinos

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes

    Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

    Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
    Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!