O que Fortaleza está aprendendo com Nova York, Paris e Bogotá

Capital do Ceará criou plano de mobilidade com faixas de ônibus e ciclovias. Mortes no trânsito caíram ao menor nível em 15 anos

    O transporte público como prioridade, o incentivo ao uso de transportes alternativos, como a bicicleta, e a meta de reduzir os altos números de mortes no trânsito. Foram essas as três principais preocupações de Fortaleza nos últimos anos ao montar sua política de mobilidade urbana.

    Olhando para exemplos de fora, com intenso intercâmbio técnico com outras cidades e apoio de organizações não governamentais, a quinta maior cidade do Brasil colhe os primeiros frutos da mudança de paradigma que vem botando em prática.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.