Rocha Loures é preso. Como Temer se refere ao ex-assessor flagrado com uma mala de dinheiro

Ex-assessor é descrito pelo presidente como ingênuo, decente e de boa índole. Elogios acompanham expectativa sobre adesão a possível delação premiada

    Flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil em dinheiro e correndo com ela numa rua de São Paulo, Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor especial do presidente Michel Temer, é tido pela Procuradoria-Geral da República como o homem que pode ligar os pagamentos da JBS ao Palácio do Planalto.

    Neste sábado (3), Loures foi preso por determinação do Supremo. Foi ele quem, no dia 6 de março, marcou o encontro do empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa de processamento de carnes, com o presidente Temer, no Palácio do Jaburu, residência oficial.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.